Buscar
  • Gilberto Marçal

Amazonas. Começa a vazante dos rios .



Tres meses após o início da subida dos rios que resultou na maior cheia da história no Amazonas, a capital do estado, Manaus e os municípios das calhas do Solimões, Amazonas e Rio Negro, vivem agora a expectativa da descida das Águas. No Solimões, onde estão locizadas as cidades de Tabatinga , Coari, Codajas Tefé, Manacapuru e Iranduba, o nível do Rio registrou uma queda de três centímetros nas últimas 24 horas. Um alívio para quem perdeu tudo para a enchente na região.

Em Coari por exemplo, parte da orla do município e zona rural, vão aos poucos voltando ao movimento rotineiro. Em Tefé, as ruas do centro comercial, até então tomadas pelas águas, também sinalizam a redução no nível do Rio.



Codajas é outra cidade onde a vida vai lentamente sendo retomada..O município foi severamente castigado pela cheia.

Na cidade de Iranduba, o Porto do município é a referência do início da vazante, pelo fato de ser flutuante, adaptando-se a subida e descida do Rio. A plataforma do cais já começa a desnivelar em relação a terra firme.

E em Manaus onde todo o centro histórico foi encoberto pelas águas, já é possível ver as marcas que separam o maior pico da enchente. A capital foi duramente castigada pela cheia, um fenômeno natural que deixou um rastro de destruição e prejuízos incalculáveis, tanto para empresários, quanto para governo e município, que vão ter de redobrar os esforços para recuperar áreas inundadas, ruas, logradouros e até prédios públicos, atingidos pelas águas. A missão, é garantir ao cidadão, o direito a vida.



17 visualizações0 comentário