Buscar
  • Gilberto Marçal

Professores da rede estadual do interior do AM deflagram greve, anuncia Sinteam

Sindicato defende que professores só voltem às salas de aula, após receberem as duas doses da vacina contra a Covid-19





O Sindicato dos Trabalhadores em Educação do Amazonas (Sinteam) aprovou, durante assembleia, nesta terça-feira (25/5), a deflagração de greve sanitária na rede estadual de ensino em municípios do interior, com manutenção das aulas remotas e paralisação das aulas presenciais.


Os professores defendem que o retorno seguro às aulas presenciais depende da imunização completa contra a Covid-19 de todos os profissionais da educação.


“Defendemos aulas presenciais somente 15 dias após a segunda dose da vacina para garantir a repleta imunização da nossa categoria e menos risco para a população dos municípios”, afirmou a presidente do Sinteam, Ana Cristina Rodrigues.


Segundo o Sindicato, a princípio, a greve será apenas no interior do estado.


O Governo do Amazonas autorizou o retorno das aulas presenciais para o dia 19 de maio.


A presidente do Sinteam afirmou que fará visita a Parintins, nesta quarta-feira (26/5), onde os trabalhadores da educação não aderiram o retorno presencial das aulas.


O prefeito de Parintins Bi Garcia (DEM) disse à imprensa “que não é hora de arriscar”. “Me preocupo com o retorno pensando que os professores ainda não foram vacinados, que os alunos podem pegar o vírus na escola, levar para casa e infectar os familiares”, afirmou.


Em Itacoatiara, os vereadores defenderam na sessão de ontem (24) o retorno às aulas somente após a segunda dose da vacina.


Em Guajará, os trabalhadores foram para a escola, mas mantiveram apenas as aulas remotas. “Entregamos um manifesto para os alunos levarem para os pais e vamos nos manter nas aulas online”, disse um dos professores que participou da assembleia.


Fonte:DeAmazônia

4 visualizações0 comentário