Buscar
  • Gilberto Marçal

Nova onda, em Manaus, trouxe variante da covid mais rápida e mortal entre jovens

“Você ausculta o pulmão do paciente e não escuta nada, mas na imagem tomográfica há um comprometimento muito grande do pulmão", afirmou o infectologista e pesquisador Noaldo Lucena





A variação da segunda onda da covid-19 em Manaus é mais rápida, letal e está matando mais jovens amazonenses. A avaliação é do infectologista e pesquisador Noaldo Lucena, que atua em clínica popular, atendimento domiciliar e hospitais públicos na capital amazonense. A informação é do site Uol.


Os Profissionais de saúde de Manaus (AM) afirmaram que a segunda onda do coronavírus tem maior transmissibilidade causada por mutações em comparação com a primeira onda. De acordo com profissionais, a Covid-19 está formando infecções mais graves e em menos tempo.


"Algo de muito diferente está ocorrendo em Manaus. Não sei informar se é uma cepa nova ou se é algo diferente. Mas quem está na linha de frente está vendo um aumento da gravidade dos casos", acrescentou, apontando índice alto de óbitos entre doentes na faixa etária abaixo dos 60 anos.


Na avaliação do pesquisador a doença apresenta menos sintomas capazes de serem percebidos em um exame clínico. "Você ausculta o pulmão do paciente e não escuta nada. Mas, quando vemos a imagem tomográfica, não acredita como há um comprometimento tão grande com tão pouca repercussão clínica notória”, completa.


Fonte:DeAmazônia

6 visualizações0 comentário